Seu navegador está desatualizado!

Atualize o seu navegador para uma melhor visualização do site. Atualizar agora!

X

11/04/2018

“Empreender na Prática: Exportação” apresentou oportunidades para MPEs

O evento, organizado pela Microempa, junto com os grupos setoriais de Exportação (Microex) e de Soluções e Negócios (GSEN), marcou a terceira edição do “Empreender na Prática” focado em exportação.

Mais de cem pessoas estiveram na Microempa para prestigiar o “Empreender na Prática: Exportação”, em parceria com os grupos setoriais de Exportação (Microex) e de Soluções e Negócios (GSEN) no dia 10 de abril, na Microempa.

                Na abertura, o presidente da Microempa Jovenil Vitt Lima destacou a importância do encontro focado em comércio exterior e logística para ajudar os empresários para que tenham a oportunidade de exportar: “Nosso objetivo é aproximar vocês, empresários das MPEs, para que tenham a oportunidade de buscar novos mercados”, destacou. O coordenador do Microex e vice-presidente da Microempa, Pedro Dal Moro, fez questão de lembrar que, nesse momento, é preciso se abrir a novas ideias para a exportação, enquanto a coordenadora do GSEN Luciana Marcarini finalizou: “O Empreender na Prática tem o propósito de qualificar as empresas para o mercado por meio do conhecimento”.

                A palestra “Ferramentas para encontrar clientes no exterior” foi apresentada por Daniele Bagatini, que trouxe ferramentas úteis para prospectar clientes internacionais. Ao apresentar o conceito do termo exportar, ela destacou que, acima de tudo, é uma oportunidade de aumentar a visibilidade da empresa ao conhecer novos mercados e processos ao aprender com clientes e até concorrentes: “Ao exportar, você eleva o nível do produto também para o mercado interno e faz a empresa crescer”, afirmou. Para Daniele, planejamento, disponibilidade de tempo e de recurso, comprometimento e estrutura interna são essenciais para exportar. Ao mostrar os caminhos sobre como começar, enumerou as ferramentas úteis para desenvolver a estratégia, como a busca de informações com órgãos governamentais, consulados e grupos setoriais como o Microex.

         O “Case compact: onde encontramos nosso cliente?” foi trazido por Guilherme Toigo Poletti, que atua nos setores de gastronomia e automotivo com produtos para o aquecimento e refrigeração de alimentos. Ao revelar que apenas 5% das MPEs exportam, ele sinalizou sobre a importância de buscar novos mercados: “Exportar é estratégico e essa iniciativa precisa vir do gestor porque a internacionalização é uma vantagem competitiva”, alertou. Ao citar que o produto brasileiro é visto como uma marca de excelência nos países vizinhos e na África, pontuou sobre o elevado nível de exigência da Europa. Nessas relações, segundo ele, o conhecimento sobre a cultura de cada povo pode ser um diferencial para fortalecer as relações comerciais no exterior e é preciso ficar atento a isso. Para ele, como o relacionamento é muito importante para conquistar o cliente, garantir a recompra e reter o cliente é essencial para a continuidade da atuação como exportador.

                Já empresário Julio Delfino contou sobre a vivência dele com o “Case Colmeia: 1 milhão de dólares na minha primeira exportação”. Em uma palestra descontraída, o diretor Comercial empresa familiar Colmeia, contou como foram os passos para torná-la a maior fábrica de containers habitáveis do sul do Brasil. Ele mostrou o cenário da Colmeia antes da exportação: em 2009, uma empresa com 15 funcionários criada pelo pai dele, que era engenheiro e alugava containers para canteiros de obras com faturamento de 3 milhões ao ano e após a iniciativa de participar de uma feira na Alemanha, que foi o começo da caminhada. A partir daí, ele visitou 15 países para prospecção e enfrentou os desafios de conhecer todos os passos que envolviam a exportação. Com o Brasil em ascensão, a empresa foi em busca de oportunidades e qualificação para investir na internacionalização e crescer, quando conquistaram um contrato de um milhão de dólares. Nessa fase, os desafios foram enfrentados e superados: “A experiência de ter buscado oportunidades no exterior nos capacitou para desenvolver novas habilidades que foram aplicadas no mercado interno”, disse. Hoje, são 400 funcionários, filiais no Rio de Janeiro, Paraná, Santa Catarina, Mato Grosso, São Paulo e Uruguai, mais de 800 containers alugados e 42 milhões de faturamento.

                A Advanced Corretora, a Clemar Assessoria e Logística, a Goar Excelência no Ar foram as patrocinadoras do evento, que contou com o apoio da Serralog Indústria e Comércio de Produtos para Logística.


VER TODAS NOTÍCIAS